Confira abaixo o áudio e as letras dos sambas

Salgueiro 2021: confira os sambas concorrentes da disputa para o próximo Carnaval

O GRES Acadêmicos do Salgueiro recebeu, na manhã deste domingo, os sambas que estarão na disputa que vai eleger o hino oficial do enredo Resistência, para o próximo Carnaval. Ao todo, 24 obras foram inscritas na competição. O formato da disputa será informado esta semana e, segundo Alexandre Couto, diretor de Carnaval da vermelha e branca, esta promete ser uma das mais difíceis dos últimos anos. “ Os compositores deram um verdadeiro show e absorveram exatamente tudo o que foi passado desde a divulgação da sinopse. Isto é bem interessante porque, apesar de não termos uma leitura, uma explanação presencial, tudo ficou tão claro que podemos dizer que todos os sambas são verdadeiras poesias. Essa é a melhor dor de cabeça que poderíamos ter em tempos tão difíceis”, comenta Couto.

Chancelado pelas mãos de Helena Theodoro, o enredo abordará os lugares de resistência do povo preto no Rio de Janeiro. A escola, que tem entre suas tradições, protagonizar as figuras e a cultura preta em seus enredos, vem seguindo com o planejamento do desfile, mesmo na incerteza sobre se haverá ou não o espetáculo em 2021. “ Precisamos continuar otimistas e pensar positivamente pela realização dos desfiles, pois não é só uma questão de entretenimento, é também geração de emprego e renda para milhares de artesãos profissionais que estão envolvidos, diretamente, na realização do evento. De certa forma, realizar a disputa, nos dá uma injeção de ânimo para enfrentar tudo isto”, diz Jomar Casemiro, diretor geral de Harmonia.

A escola disponibilizou o áudio e as letras de todas as parcerias inscritas em seu canal do YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCjqXflXPp64sZXy0M1iN9AQ)

 

COMPOSITORES: XANDE DE PILARES, DUDU BOTELHO, MIUDINHO DO
SALGUEIRO, BETINHO DE PILARES, JASSA, MIGUEL DIBO, W CORREA
INTÉRPRETE: ZÉ PAULO SIERRA

 

NO MORRO ONDE O SAMBA É DIALETO
TOCA O BANJO DO “GUINETO”
CHAMA “PAULA” DE GUERREIRA
NO FORRO, ONDE O NEGRO DÁ NO COURO
QUEM APITA É “MESTRE LOURO”
PROFESSOR É “NOEL ROSA DE OLIVEIRA”
PELAS VIDAS REVENDIDAS NO LEILÃO
NO VALONGO SUFOCADO PELA ARGOLA DA OPRESSÃO
TANTAS VOZES NA MISÉRIA DO CORTIÇO
TANTOS GRITOS DE EXCLUÍDOS E CAMBAIOS
NESSA ABOLIÇÃO QUE É TÃO FAJUTA ONDE O NEGRO SÓ LABUTA
AINDA É 12 MAIO

 

NASCEU LIBERDADE NO VENTRE MATAMBA
PRA ALGUNS ENTIDADE, PRA NÓS ORIXÁ
A IDENTIDADE, DE KETO E ANGOLA
É O CHÃO DA ESCOLA DE “BABÃO” E “ANESCAR”
NASCEU LIBERDADE NO VENTRE MATAMBA
PRA ALGUNS ENTIDADE, PRA NÓS ORIXÁ
A MÃE TEMPESTADE, A PEDRA QUE ROLA,
QUE EMBOLA E DESEMBOLA
AO CANTAR MEU “SABIÁ”

 

Ê CAMARÁ Ê CAMARÁ
EU FUI BATIZADO NA RODA DE CAPOEIRA
RESISTIR É MEU LEGADO
EXISTIR MINHA BANDEIRA
SIGO DE PUNHO CERRADO
COM XANGÔ REI DA PEDREIRA

 

ÔÔ ÔÔ MOCAMBO DA RAÇA
NÃO TEME A MORDAÇA
SÓ TREME AFOXÉS
ÔÔ ÔÔ SENTINELA DO PRECEITO

 

“BALA” CONTRA O PRECONCEITO
“CALÇA LARGA” SOBRE OS PÉS

 

OS PÉS QUE RISCAM ESSE CHÃO SAGRADO
MOSTRANDO AO MUNDO O SEU GINGADO
DANÇANDO SEUS BATUCAJÉS
ONDE EU NASCI E FUI CRIADO
SALGUEIRO MEU TORRÃO AMADO

 

NÃO TEM CHAVE OU CADEADO
NEM CORRENTE DA SENZALA
MEU QUILOMBO É ENCARNADO
PRETA VOZ QUE NÃO SE CALA                                      BIS
QUANDO EU PEGO NO GANZÁ
“ISABEL” VAI PRO TERREIRO
ARREDA QUE LÁ VEM SALGUEIRO!!!