Confira abaixo o áudio e as letras dos sambas

Salgueiro 2021: confira os sambas concorrentes da disputa para o próximo Carnaval

O GRES Acadêmicos do Salgueiro recebeu, na manhã deste domingo, os sambas que estarão na disputa que vai eleger o hino oficial do enredo Resistência, para o próximo Carnaval. Ao todo, 24 obras foram inscritas na competição. O formato da disputa será informado esta semana e, segundo Alexandre Couto, diretor de Carnaval da vermelha e branca, esta promete ser uma das mais difíceis dos últimos anos. “ Os compositores deram um verdadeiro show e absorveram exatamente tudo o que foi passado desde a divulgação da sinopse. Isto é bem interessante porque, apesar de não termos uma leitura, uma explanação presencial, tudo ficou tão claro que podemos dizer que todos os sambas são verdadeiras poesias. Essa é a melhor dor de cabeça que poderíamos ter em tempos tão difíceis”, comenta Couto.

Chancelado pelas mãos de Helena Theodoro, o enredo abordará os lugares de resistência do povo preto no Rio de Janeiro. A escola, que tem entre suas tradições, protagonizar as figuras e a cultura preta em seus enredos, vem seguindo com o planejamento do desfile, mesmo na incerteza sobre se haverá ou não o espetáculo em 2021. “ Precisamos continuar otimistas e pensar positivamente pela realização dos desfiles, pois não é só uma questão de entretenimento, é também geração de emprego e renda para milhares de artesãos profissionais que estão envolvidos, diretamente, na realização do evento. De certa forma, realizar a disputa, nos dá uma injeção de ânimo para enfrentar tudo isto”, diz Jomar Casemiro, diretor geral de Harmonia.

A escola disponibilizou o áudio e as letras de todas as parcerias inscritas em seu canal do YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCjqXflXPp64sZXy0M1iN9AQ)

 

CARNAVAL 2021
G.R.E.S. Acadêmicos do Salgueiro
Presidente: André Vaz
Vice-Presidente: Joaquim Cruz
Presidente de Honra: Djalma Sabiá
Carnavalesco: Alex de Souza
Enredo: “Resistência”

 

AUTORES: Grazzi Brasil, Marcelo Lepiane, Leandro Thomaz, Rafael Gonçalves, Washington Rocco, Araken Alegria, Lanza Ouro Benê e Márcia Malandro Maneiro.

 

LETRA DO SAMBA

 

Salgueiro… é resistência na raiz
Essência da raça
Não nega a cicatriz
Marcas de tantas chibatas
Hoje mordaças…
Mascaradas de igualdade social
"Adeus, baobá!" Levo o meu orixá
e a sua justiça
Pra sempre lembrar
que enquanto eu lutar
teu fogo me atiça
Foi no axé de mãe baiana, "saruê"
Que a herança yorubana vi nascer
"Todo dia ela está" na entrada do terreiro
Batucada à luz do candeeiro.

 

Baixa a guarda, camará (ô camará)
Minha fé não vou negar (nem me curvar)
Desse jogo que é meu, Ninguém me tira
Das ruas, sou eu, o rei da gira

 

Entre acordes de um violão
Ressoam tambores da pedra do sal (meu quintal)
Não sou mais um personagem
Guarde a sua maquiagem
Chegou o artista principal!
Eu sei a lei não me fez livre das mazelas
Cada quilombo, cada favela
Trago a força de zumbi
Salgueiro.. teu charme é ser diferente
Machado que quebra corrente
A ginga que mora em mim
Se nenhum canto de raça foi em vão
Fazer escola é fazer revolução!

 

Tire a mão da minha história que eu vou passar
Meu herói tem pele preta
Não vão nos calar
Kabecilê Xangô
Não se faz Academia
Sem a voz de quem lutou