Confira abaixo o áudio e as letras dos sambas

Salgueiro 2021: confira os sambas concorrentes da disputa para o próximo Carnaval

O GRES Acadêmicos do Salgueiro recebeu, na manhã deste domingo, os sambas que estarão na disputa que vai eleger o hino oficial do enredo Resistência, para o próximo Carnaval. Ao todo, 24 obras foram inscritas na competição. O formato da disputa será informado esta semana e, segundo Alexandre Couto, diretor de Carnaval da vermelha e branca, esta promete ser uma das mais difíceis dos últimos anos. “ Os compositores deram um verdadeiro show e absorveram exatamente tudo o que foi passado desde a divulgação da sinopse. Isto é bem interessante porque, apesar de não termos uma leitura, uma explanação presencial, tudo ficou tão claro que podemos dizer que todos os sambas são verdadeiras poesias. Essa é a melhor dor de cabeça que poderíamos ter em tempos tão difíceis”, comenta Couto.

Chancelado pelas mãos de Helena Theodoro, o enredo abordará os lugares de resistência do povo preto no Rio de Janeiro. A escola, que tem entre suas tradições, protagonizar as figuras e a cultura preta em seus enredos, vem seguindo com o planejamento do desfile, mesmo na incerteza sobre se haverá ou não o espetáculo em 2021. “ Precisamos continuar otimistas e pensar positivamente pela realização dos desfiles, pois não é só uma questão de entretenimento, é também geração de emprego e renda para milhares de artesãos profissionais que estão envolvidos, diretamente, na realização do evento. De certa forma, realizar a disputa, nos dá uma injeção de ânimo para enfrentar tudo isto”, diz Jomar Casemiro, diretor geral de Harmonia.

A escola disponibilizou o áudio e as letras de todas as parcerias inscritas em seu canal do YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCjqXflXPp64sZXy0M1iN9AQ)

 

COMPOSITORES: RAFA HECHT, DJALMA FERREIRA, PIXULÉ, RODRIGO
PORTO, NUNES E THIAGO DANIEL
INTÉRPRETE: PIXULÉ

 

VAMOS PISAR FORTE NESSE CHÃO
EVOCAR NOSSA NAÇÃO
DESCE O MORRO, É TEMPO DE LUTAR!
SOU EU, SENHOR DA MINHA PRÓPRIA EXISTÊNCIA
ALMA PRETA SEM GRILHÕES
SENTINELA E VOZ DA RESISTÊNCIA
SOU EU, FILHO BASTARDO DA ALFORRIA
MÃOS LIBERTAS DA AGONIA
ACORRENTADAS AO SILÊNCIO DA HISTÓRIA
SERÁ A LIBERDADE, SONHO OU REALIDADE?
NESSA PÁTRIA QUE NÃO SOUBE SER GENTIL
CARREGADO DE AXÉ, ASSENTEI MEUS ORIXÁS
E NO TOQUE DO TAMBOR MEU “QUILOMBO” INCORPOROU!

 

SARAVÁ, JONGO, SARAVÁ
OLHA VAMOS NA DANÇA DO CAXAMBU
VOU CHAMAR ZÉ TAMBOZEIRO
PRA FIRMAR NO MEU TERREIRO
CAPOEIRA MATA UM, ZUM ZUM ZUM

 

DENDÊ E PIMENTA DE CHEIRO
ATIÇA O TEMPERO DA MÃE QUITUTEIRA
RESPEITA, SENHOR, MINHA FÉ
MEU POVO RESISTE, É NÓ NA MADEIRA
A ARTE O MEU TALENTO REVELOU
NOS PALCOS DA VIDA CONSAGREI A MINHA COR
NA PELE O TOM DO SAMBA, EM POESIA ANCESTRAL
FUI PIONEIRO, NESSA TERRA FIZ RAIZ

 

EU SOU SALGUEIRO, MINHA HISTÓRIA É QUEM DIZ!
 

Ê Ê, MEU CANTO LIVRE A ECOAR É PRETO
PUNHO CERRADO CONTRA A OPRESSÃO
NINGUÉM CALA A VOZ QUE VEM DO GUETO
O MEU SALGUEIRO VAI CUMPRIR SUA MISSÃO
(O MEU SALGUEIRO VAI CUMPRIR SUA MISSÃO)