Confira abaixo o áudio e as letras dos sambas

Salgueiro 2021: confira os sambas concorrentes da disputa para o próximo Carnaval

O GRES Acadêmicos do Salgueiro recebeu, na manhã deste domingo, os sambas que estarão na disputa que vai eleger o hino oficial do enredo Resistência, para o próximo Carnaval. Ao todo, 24 obras foram inscritas na competição. O formato da disputa será informado esta semana e, segundo Alexandre Couto, diretor de Carnaval da vermelha e branca, esta promete ser uma das mais difíceis dos últimos anos. “ Os compositores deram um verdadeiro show e absorveram exatamente tudo o que foi passado desde a divulgação da sinopse. Isto é bem interessante porque, apesar de não termos uma leitura, uma explanação presencial, tudo ficou tão claro que podemos dizer que todos os sambas são verdadeiras poesias. Essa é a melhor dor de cabeça que poderíamos ter em tempos tão difíceis”, comenta Couto.

Chancelado pelas mãos de Helena Theodoro, o enredo abordará os lugares de resistência do povo preto no Rio de Janeiro. A escola, que tem entre suas tradições, protagonizar as figuras e a cultura preta em seus enredos, vem seguindo com o planejamento do desfile, mesmo na incerteza sobre se haverá ou não o espetáculo em 2021. “ Precisamos continuar otimistas e pensar positivamente pela realização dos desfiles, pois não é só uma questão de entretenimento, é também geração de emprego e renda para milhares de artesãos profissionais que estão envolvidos, diretamente, na realização do evento. De certa forma, realizar a disputa, nos dá uma injeção de ânimo para enfrentar tudo isto”, diz Jomar Casemiro, diretor geral de Harmonia.

A escola disponibilizou o áudio e as letras de todas as parcerias inscritas em seu canal do YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCjqXflXPp64sZXy0M1iN9AQ)

 

AUTORES: TIÃOZINHO DO SALGUEIRO, CÉSAR REIS, GREGÓRIO DA CASA DE JORGE, JOÃO
CONGA, BETO BOMBEIRO, TIO JÚLIO, PROFESSOR ACM E YEDA MARANHÃO.
INTÉRPRETES: NÊGO, DOUM GUERREIRO E CAIM DA PRAÇA

 

EU SOU O NEGRO “LIBERTO” DO CATIVEIRO
CATIVO ÀS AGRURAS NO RIO DE JANEIRO
SAGAZ, “PLANTEI MEU PARAÍSO” NA FAVELA
SOB O AÇOITE DISFARÇADO ROGO PAZ EM MEIO A GUERRA
ABANDONADO, NEGRINHO DESCALÇO,
JOGADO A SORTE NA ESTRADA DA VIDA
À “DOCE BALA” NO SINAL, AO AMARGO DA BALA “PERDIDA”
ÔÔÔÔ ÔÔÔ
DIREITO NEGADO, DESTINO TRAÇADO E MEU ALTAR É VIOLADO

 

FIRMA PONTO AÍ, SALVE OS ORIXÁS!!
CHAMA PRO XIRÊ, BOTA A SANTA NO GONGÁ
ENTREGO OFERENDAS PRA FORTALECER
“LIVRÁI-NOS DO MAL”, ME AJUDE A VENCER

 

LINDAS HISTÓRIAS DE LUTA DOS ANCESTRAIS… CHEGUEI CONTANDO
EU SINTO O CHEIRO DAS CAMÉLIAS DO LEBLON… SIGO SONHANDO
AINDA OUÇO OS TAMBORES DA CIATA
DA PRAÇA XI A ALEGRIA DO FESTEIRO
CHUTEI O RACISMO DA BOLA
NA CULTURA IMPRIMI MINHAS MEMÓRIAS.
MÃE BAIANA DE MÃO CHEIA DA RECEITA QUE FICOU
O TEU GIRO ME FASCINA, TUA REZA ME CUROU
NÃO ME CURVO NESSA LUTA, POIS MACULELÊ EU SOU!!!
CHAMO O POVO E FAÇO FESTA, PORQUE O RUM JÁ ECOOU

 

AUÊ..TINDOLELÊ!!!
TEU PRECONCEITO NÃO VAI ME VENCER

HOJE TEM CAXAMBU, SAMBA E FUNK NO TERREIRO
BATIDÃO DA RESISTÊNCIA
NO QUILOMBO DO SALGUEIRO