Voltar

Estatueta é uma alternativa à original, feita em cerâmica, sem ouro, retratando um guerreiro indígena

No último dia 12, o Acadêmicos do Salgueiro escolheu o samba-enredo que vai embalar o desfile de 2024 na Marquês de Sapucaí. Com o enredo “Hutukara”, desenvolvido pelo enredista Igor Ricardo e artisticamente elaborado pelo carnavalesco Edson Pereira, a Academia do Samba vai contar a história e a luta do povo Yanomami.

A obra escolhida, de autoria da parceria de Pedrinho da Flor, Marcelo Motta, Arlindinho Cruz, Renato Galante, Dudu Nobre, Leonardo Gallo, Ramon Via13 e Ralfe Ribeiro, caiu nas graças dos sambistas e já é considerada uma das mais belas composições do Carnaval 2024.

A tão elogiada obra merecia um prêmio à altura, e todos os compositores da parceria vencedora levaram para casa a estatueta Omama, o “Oscar Yanomami”.

O trófeu confeccionado e entregue à parceria campeã do samba do Salgueiro para o Carnaval 2024 não é apenas uma representação de sucesso na arte do samba, mas também um poderoso símbolo de solidariedade e conscientização sobre uma questão crítica que afeta a vida de comunidades indígenas no Brasil, em particular os Yanomami.

A extração ilegal de ouro nas terras Yanomami não apenas prejudica a rica biodiversidade da região, mas também envenena os rios com o uso de mercúrio, resultando em fome, morte e uma das maiores crises humanitárias do Brasil. Por anos, os Yanomamis têm clamado por ajuda, mas suas vozes muitas vezes não foram ouvidas.

Nesse contexto, a Urihi e a DM9 deram um passo notável para conscientizar o mundo sobre essa situação ao utilizar o troféu do Oscar, que tem o ouro como seu símbolo universal, como meio de chamar a atenção para a causa. Eles criaram o Omama, uma alternativa à estatueta original do Oscar, feita em cerâmica, sem ouro, retratando um guerreiro Yanomami.

Essa estátua foi enviada para todos os 20 indicados ao Oscar, acompanhada de um apelo por ajuda. O artista plástico Felipe Corcione foi responsável por esculpir essas obras. Elas são feitas em argila à mão, uma a uma, com o objetivo de expressar a energia criadora de Omama.

“Ao incorporar o Omama em nosso Carnaval, nós buscamos potencializar mais ainda a atenção de todo o planeta na luta contra o garimpo ilegal e na proteção do povo Yanomami”, destaca Corcione.

Nas redes sociais, o compositor Marcelo Motta, compartilhou um registro de seu Omama e não escondeu o orgulho ao relatar a importância da peça e, principalmente, a de levar para Avenida o grito yanomami:

“O símbolo dessa vitória que carrega consigo toda a energia e a representatividade de um povo que aprendi a amar ainda mais graças a este magnífico enredo. Uma honra ser um dos compositores da trilha sonora que dará voz aos Yanomami, não só no Carnaval 2024, mas por todo o Brasil e mundo, tenho certeza. A felicidade é proporcional a responsabilidade que carregaremos. Orgulhoso e grato ao meu Salgueiro pelo presente que está sendo fazer parte deste projeto.”, destacou Motta.


Comentários...


  • Compartilhe:


Você também vai gostar de ver...

  • Demerson D’Alvaro viverá Oxóssi em show de Sandro Luiz na quadra do Acadêmicos do Salgueiro

    20/06/2024

  • Hutukara: enredo do Salgueiro ganha Oscar da publicidade mundial em Cannes

    20/06/2024

  • Sandro Luiz leva cânticos umbandistas ao palco do Acadêmicos do Salgueiro com show ‘Tem que ter fé’

    14/06/2024

  • De corpo fechado: Acadêmicos do Salgueiro entrega sinopse em noite marcada pela emoção e espiritualidade

    06/06/2024

Voltar